23 outubro 2009

Pedro e o lobo

É uma bela história. Ontem deixei envolver-me numa, envolvi outros, movi em segundos generosas partes do céu e algumas da terra para acudir a uma situação que embora não me parecesse emergente, me fez pensar que eu nunca mais dormiria da mesma maneira se efectivamente fosse uma situação séria em que a ajuda fosse necessária. Ninguém pode ficar inactivo perante uma ameaça de suicídio como aquela que apareceu na timeline do meu Twitter ontem ao final do dia. Porque os caminhos do Senhor são misteriosos e alguns de nós têm Via Verde, passei do sorriso de escárnio e do pensamento do "Olha mais um..." à tentativa de ajuda efectiva a um suposto suicida que estava a trezentos klms. de distância. Houve quem, ainda mais generosamente do que eu, que nunca saí da frente do meu computador, pusesse rodas à estrada e fosse ao local. Foram activados meios policiais e de emergência médica, percebi que a comunidade se dividiu entre os que ficaram efectivamente preocupados e os que atrapalhando o tráfego se divertiam em piadas de humor desnecessário. Como cheguei ao promitente local e contacto (já podes ligar o telefone cujas chamadas ora rejeitaste ou nunca atendeste, meu palerma!) é uma resposta que ficará comigo. Tudo não passou de uma historieta sem sentido e nexo. Duas coisas positivas neste episódio mental: A emergência médica, as autoridades policiais e todo o processo que é desencadeado a partir de uma chamada de um tipo que só diz "Tenho um potencial suicida na morada tal...", funcionaram com eficácia ao contrário do que tantas vezes somos levados a pensar. A outra é um abraço a um Twitter user o @gandratruck (sigam-no!) que fez aquilo que poucos fariam, investiu o seu tempo numa tentativa de ajudar o próximo e que foi em auxílio do próximo sem qualquer reserva ou pergunta. Foi também ele precioso em toda esta novela da vida surreal. (Quem sabe com problemas de consciência, a conta Twitter de onde partiu o pedido de ajuda, deixou esta manhã de existir. Deve ter-se suicidado. A conta, bem entendido).

11 comentários:

gui.tattoo disse...

Viva o @gandratruck, o camionista solidário e fixe que buzina e oferece torradas como nenhum outro ;)

Parabéns também a ti (@pedroaniceto) por transmitires ao teu/nosso mundo este episódio... que poderia acabar mesmo mal, não fosse a boa vontade de pessoas boas.

(``-_-´´) -- BUGabundo disse...

fui tentando acompanhar a historia, e qd o @jOrgeKaluluwa passou-me a seguir, logo vi q n passava de uma brincadeira.
va-se lá entender o q as pessoas fazem para chamar atençao.


Mas a questao da emergencia medica, para pessoas q mais facilmente um pedido de ajuda para as Redes Sociais do q para as Autoridades, é algo q ja me fez pensar algumas vezes...
como e' os "followers" reagem?

Este caso veio demonstrar q é possivel salvar vidas.

jorge almeida disse...

Caro Pedro,

Como todas as histórias ficam sempre pormenores (que interessam e são importantes) a faltar ou a serem maldosamente acrescentado. Antes de mais nhá "pedro e o lobo" pois eu nunca pretendi que movessem montanhas por causa do meu estado de epírito, nem nunca quis que alguém viesse em meu socorro. Se alguém que não tem ninguém para falar nem a liberdade tem de se manifestar num espaço público sem com isso cause um rebuliço exagerado então estamos mal. Nunca quis que me viessem "socorrer" e nunca quiz ser hospitalizado. Quanto á veracidade da dita tentativa todos e inclussivé o Pedro vaõ sempre caír na tentaçao de achar que foi um golpe publicitário ou seguir o cliché da chamada de atenção.

Os cortes e o sangue no meu corpo é real, bem como as feridas na alma também o são. Isso diz-me repeito só a mim e apesar de louvar a sua atitude e de poucos tenho de responder que não era mecessário pois o que eu quero é estar no meu canto a padecer ou não dos meus males. Nunca menti, nada foi "fabricado" fui apenas sincero mas pela segunda vez vejo que ser sincero no twitter é muito perigoso. Só uma correção a minha conta do twitter não foi extinguida mas sim mudei o user por estar farto de ver o antigo por todo o lado. Talvez assim me deixem em paz. Fica o agradecimento e pense o que pensar de mim, asseguro-lhe que não há nada pior do que a angustia que se sente nas alturas em que achamos que vem aí o fim.

Atentamente,

Jorge Almeida

(``-_-´´) -- BUGabundo disse...

Desculpa Jorge por nos metermo-nos na tua vida, mas como todas as vidas são sagradas, ha pessoas q n gostam de ver outras a tentar suicidar-se.
Tal como o Pedro eu interviria sempre q assistisse a situaçoes destas, fossem na vida offline ou online.

Qt ao outro ponto, sim falar verdade pode ser complicado, num mundo q e' coberto de tentativas desesperadas de chamar atençao, ou ao aproveitar o anonimato q a Web lhe confere.

Em qq um dos casos, fica a saber q podes contar com nós, nobeis anónimos, para te apoiar, e levar a tua vida em frente.

Intellectual Junkies disse...

Jorge,

Desconheço as suas razões, mas garanto-lhe: Sejam quais forem, não valem a sua vida!
Tudo muda com a forma que encaramos a vida, voçê está a encarar a vida de "esguelha"!

Mande tudo ao ar! Comece de novo!!!

Quanto ao acto nobre do Pedro e de outros twitteiros, fica a minha gratidão como ser humano. Afinal há Homens na terra.

Jorge... vamos a eles pah! :) força!!

hsoares disse...

Boas:

O título deste post não é muito adequado pois, pelos aparentementes desenvolvimentos, não foi exactamente um falso alarme.

Mas, de facto, o risco daqueles que de uma forma altruísta se preocupam e reagem perante situações críticas da vida se virem confrontados com o rídiculo é enorme; talvez por isso a indiferença seja cada vez mais um sentimento transversal na sociedade.

Àqueles que ainda assim são capazes de um gesto que, por pequeno que seja, possa significar a diferença, não posso deixar de enviar o meu respeito e admiração: fazem-nos sentir a todos mais humanos e revalorizam a esperança.

H

Blue disse...

Pois é, também na minha opinião a vida humana é sagrada e sempre farei o que estiver ao meu alcance para evitar que alguma se perca, seja por que motivo for. Parabéns ao Aniceto

José Faria disse...

Meus caros,

O que eu posso dizer é que na nossa sociedade por vezes criam-se buracos negros em torno das pessoas e é como se o mundo para elas não existissem.

Por vezes isto acontece simplesmente porque a pessoa teve um problema, isolou-se e o mundo volta lhes as costas.

Por vezes há casos de racismo, discriminação, invejas, etc.

Por vezes trata-se de resultados directos de sociopatas que pretendem assim isolar e controlar as pessoas. Estes são os casos mais complicados porque as coisas que as pessoas passam são demasiado incríveis para serem credíveis. Mas são coisas bem estudadas, pesquisem por isso.

Seja como for, muitas vezes é difícil a pessoa quebrar estes ciclos viciosos, caindo cada vez mais em desespero, optando por muitas vezes suicidar-se.

Frequentemente antes de o fazerem, as pessoas alertam que o vão fazer, porque na realidade não o pretendem fazer e precisam de ajuda, mas a continuar a situação podem mesmo vir a fazê-lo.

Muitas vezes temos casos destes no nosso prédio, na nossa rua e optamos por não saber, é certo que muitas vezes as pessoas têm vergonha e isso também ajuda.

O que posso dizer é que é preciso dar a mão a estas pessoas, num espírito de entre ajuda.

Agora existe um alerta muito importante a fazer, em geral, as pessoas que efectivamente pedem ajuda são pessoas que usam isso para se aproveitar de outras pessoas.

Não me parece que tenha sido caso aqui, mas é sempre preciso cautela. Porque existem pessoas muito perigosas que se aproveitam destas situações para se aproveitarem de pessoas boas.

E lembrem-se sempre um pedófilo é sempre a primeira pessoa a quem confiaríamos um filho nosso, é por isso que tantas crianças são vitimas...

Para que fique claro em relação a este caso em particular, eu não tenho nada que me permita dizer que a situação não foi um real pedido de ajuda, antes pelo contrário. Pelo que deixo essa questão para os que estão mais dentro do que efectivamente se passou e se passa.

Angélika disse...

Percebo perfeitamente o Jorge Almeida, no sentido em que também andei pelos mesmos caminhos. Bem podem dizer alto "força", "deita tudo para trás das costas", "não ligues", "para a frente é que é o caminho" mas isso cai tudo em saco roto!!! Sem excepção! Nestes estados só queremos que nos deixem ser na nossa dor e perdição. Se sairemos delas vivos ou não... não se sabe. Eu saí. Eu procurei ajuda psiquiatra porque um dia fiquei farta de tudo e de todos e achei que EU SOU MELHOR QUE ISTO! Mas lá está, não foi graças a ninguém, simplesmente rumei naquele sentido. Anos e anos depois ainda tenho acompanhamento clínico. Sei que voltarei a cair, mas também sei que tenho forças para me erguer e enfrentar o mundo, até ao dia em que me deixar desistir. Jorge o caminho é traçado por ti, mas não podes ficar chateado com as atitudes altruístas dos outros. Não te conhecem de lado algum, mas valorizaram a tua existência, mais do que tu a valorizas! Estaremos todos errados e tu certo? Eu sou a favor do suicídio assistido quando as condições de vida são no mínimo degradantes, seja física ou psicologicamente. Apenas desejo paz de espírito aos que padecem de tumultos e terrores enquanto vivos. Mas também entendo quem valoriza uma vida humana acima de tudo e louvo essa atitude. As minhas sinceras felicitações a todos os intervenientes neste episódio. Eu fiz o que pude, mas não cheguei aos vossos calcanhares.
São pessoas como vocês que me fizeram dar uma segunda oportunidade ao mundo e à humanidade.

Beijos Angélika

deutsch disse...

Ontem quando cheguei a casa e liguei o twitter logo me apercebi que alguma coisa de diferente se passava e acabei por ficar a seguir o rumo dos acontecimentos. Apercebi-me que os meios de emergência já tinham sido activados e que pelo um "twitteiro" também já ia a caminho e sinceramente acho que era mesmo isso que tinha que ser feito. As pessoas que não fecharam os olhos à situação estiveram, a meu ver, francamente bem! Esta história fez-me lembrar o célebre episódio do hamburguer, mas desta feita com contornos bem menos cómicos. De qualquer modo, será mais um momento que poderá ficar na história do twitter em Portugal.

Como de resto, não fiquei completamente esclarecido quanto ao que se passou de facto, abstenho-me de fazer qualquer apreciação. Apenas volto a frisar que o @pedroaniceto, o @gandratruck e outros estiveram bem nesta situação!

Pi disse...

Estou totalmente .. como direi.. aparvalhada... é.. aparvalhada, embasbacada, estupefacta... com o relato deste episódio!!!!

Mal estive no twitter ontem, não dei conta de nada, e hoje isto em jeito de "estória" parece-me surreal. Surreal!!!

Sendo certo, que sejam lá quais forem os motivos subjacentes a isto tudo, há uma grande necessidade de chamar a atenção por parte de quem se predispõe a tal coisa.

Eu não consigo conceber que uma cabeça saudável faça um episódio destes. A pessoa de facto mostra que precisa de ajuda. Em cada frase que profere, em cada comentário que faz.

Resta o espisodio para se perceber que há gente bem formada, com principios, solidária, que se voluntaría na ajuda ao próximo, seja por que meio for.

E já disse que estou estupefacta??!..