28 janeiro 2010

iPad

Ontem (e prolonga-se para hoje e alguns dias mais próximos) foi dia de visibilidade extrema por conta do novo produto Apple, o iPad. Das intervenções, ficam os registos possíveis, aqui e aqui.

19 comentários:

Armando disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Pedro Aniceto disse...

Farás o favor de ir insultar quem tu quiseres ou consentir, mas aqui não insultas ninguém. Considera-te informado.

victorma disse...

Pedro, vi a tua participação na TVI e fiquei na dúvida relativamente ao que dizias sobre a leitura especificamente de jornais, isto é, quando o jornalista te perguntou se não era semelhante ao que já teriamos num qualquer PC, e tu afirmaste que não. Ora eu vi o NYT no Safari e os livros não são mais do que uma aplicação bonitinha de livros em formato ePub, daí eu não perceber onde é que, o que foi apresentado pelo Steve Jobs tem de tão inovador. Podes concretizar melhor agora a tua ideia sobre este tema?

Miguel disse...

Filipe?

Armando disse...

Não foi minha intenção ofender quem quer que seja. Desde já, e se foi essa a mensagem que transmiti, peço imensa desculpa pelo sucedido.

João Carvalho disse...

Pois vinha também perguntar Filipe???
Já contava com o tipo de eit... por parte do comentador da tvi em relação ao produto. Outra coisa u não vi a entrevista na tv, logo não sei o que se passou, ou fora dito a priora, mas para fazer uma review paraçeu-me um tanto ou nada curto.

victorma disse...

Só para restituir o rigor ao meu comentário, errei ao considerar que o NYT estava a ser visualizado no Safari, parece que é um simples reader, tal como eles já possuem um para Windows e Mac com Adobe Air, como poderiam ter em Silverlight para Windows por exemplo, mas continuo a não perceber a ideia.

Énio disse...

Qual a sua opinião em relação a este aetigo http://www.daniweb.com/news/story255990.html ?

Renato disse...

Eu também sou fã da Apple, mas deixem-me dizer fiquei desiludido com este produto, e não sei como as pessoas podem comparar com um netbook:

1º Só o facto de não ter multitasking já me deixa de pé atrás, como vou eu poder ler um livro e falar com um colega ao mesmo tempo ?

2º Quem pense q vai jogar farmville, ver videos do youtube, ou vai ver websites sem grandes pedaços de espaço vazio desengane-se, pois esta maravilha não suporta flash

3º O espaço que traz é muito pouco e ainda para mais, não tem entradas USB sendo preciso comprar o dito adaptador, o que me fascina é....porque é que não tem entradas USB ?

Pois é, isto tudo que são funcionalidades garantidas num netbook que não existem no iPad.

Depois ainda temos o problema de não ter camara ou gps, ter um ecra 4:3 e só podermos usar aplicações autorizadas pela apple...

Enfim esta foi a primeira vez que a Apple me desiludiu desta maneira.

Cumprimentos

A.Carrilho disse...

O meu 1º computador foi um iMac da primeirissima geração. Tanto que levei na cabeça por, por exº a máquina não ter drive de disketes (sim daquelas de 3,5".... ),só ter portas usb (usb? qué isso? perguntavam alguns). Mas trazia "de série" uma drive para cd´s e coisas estranhas como um modem interno...
Quanto ao iPad, o único problema que vejo, é que aqui pelo interior, zonas wifi não são tão abundantes como desejaria...
E não me parece que seja "o" computador. Antes o periférico, transportável, complemento ao computador que temos em casa....
Vamos ver no que dá.

Jorge A. Roque disse...

É sempre um prazer ver e ouvir alguém como tu, o melhor especialista do mundo Apple (e não só), a falar de algo tão fascinante e revolucionário. Ontem fez-se história!
(vai contando com uma encomenda minha ;) )

Énio disse...

História? Porque é da Apple? Já ouviram falar do touchbook? Saiu o ano passado ora vejam http://www.alwaysinnovating.com

Manuel Lemos disse...

s

Jorge A. Roque disse...

Respondendo ao Énio:

"História" porque, mais uma vez, vale mais o conceito do que produto (e não retiro aqui qualquer juízo de valor relativamente à aparente grande qualidade do iPad, ainda que consciente das suas falhas). E o conceito, esse, é bastante inovador: o iBooks dificilmente não terá o mesmo êxito do iTunes; inaugura a noção de terceira "third generation" gadgets; e, de acordo com a história da Apple, "obriga" o mercado de produtos similares, a seguir a tendência. Essa é, e tem sido, definida pela Apple. Esta ideia de conceito passa, assim, pela de definição de paradigma por parte da casa de Cupertino. Leia, por exemplo, iCon. Perceberá melhor a importância do lançamento do iPad. Depois, comparar o Touch Book com o iPad é não querer ver o óbvio!

Manuel Lemos disse...

Parece-me demasiado pesado para ser confortável. Tem cerca 700 gramas. É mais do dobro de um livro médio de 300 páginas que tem cerca de 300 gramas. Penso que se uma pessoa tentar segurar um iPad nas mãos, passado alguns minutos pode ter dores nos tendões.

Curiosamente o Kindle tem cerca de 300 gramas. Pelo que sugere que pelo menos para ler livros a Amazon pensou muito mais no conforto do leitor do que a Apple.

Outro detalhe é que o ecrã do iPad emite luz e por isso cansa mais a vista em menos tempo do que um Kindle ou outro baseado e-Ink. O "ecrã" do Kindle não emite luz, apenas reflecte.

Ainda comparando com um Kindle, o iPad custa o dobro do preço do Kindle. Pessoalmente já acho o Kindle caro. Se for só para ler livros, o preço do iPad é demasiado alto.

Se for para ver filmes, o iPad precisava ainda de ter algum suporte para ficar pendurado se que a pessoa fique com o desconforto de segurar no iPad o tempo inteiro, ou ter de levantar as pernas para o segurar no colo.

Para ver filmes, um netbook na mesma faixa de preço parece-me ser mais apropriado, uma vez que a base do netbook onde está o teclado, que o iPad não tem, nos netbooks serve de suporte para o ecrã que inclusivamente pode ter inclinação regulável sem dar o desconforto a quem está a ver filmes.

Para jogos de acção, o iPad também não me parece adequado dado que não existem controlos externos (joysticks com ou sem fios). Os jogadores precisam de interagir pondo as suas mãos permanentemente no ecrã, impedindo a visualização do cenário de jogo dado que, ao contrário do teclado virtual, obviamente as mãos não são transparentes. Talvez sacrificando um pouco a área de jogo para mostrar controlos virtuais, isso se resolva, mas sempre se perde alguma coisa.

Por fim, o facto da plataforma da Apple ser fechada, impede-me de instalar o que quiser sem ter que violar os termos de uso instalando jail-breaks.

Há quem mencione também a questão da multi-tarefa. Penso que o sistema operativo do iPad/iPhone são apenas bundles diferentes do Mac OS X, pelo que a multi-tarefa é suportada pelo kernel. Se o interface com o utilizador não permite, suspeito ser algo que a Apple impôs como limitação deliberada.

Mas desconfio que vai ser uma das próximas pseudo-melhorias da próxima versão dos iPhones, tal como a ausência de suporte a copy and paste nas versões anteriores do iPhone. Afinal de contas a Apple tem de anunciar novidades nos novos iPhones para que os actuais clientes sejam atraídos a comprar um iPhone outra vez.

Assim também insuflam os números de utilizadores de iPhones que na verdade são muitas vezes o mesmo cliente que comprou várias gerações do aparelho.

victorma disse...

Jorge, o iBooks na realidade não é nada que não exista já e em todas as outras plataformas, por isso continuo a considerar que este produto do meu ponto de vista não preenche os requisitos do espaço que pretende ocupar.

- Parece-me mau para escrever
- Pesado para ser confortável em alguns cenários como aqui já foi abordado (leitura)
- Limitado e pouco flexivel
- A Apple continua com o mesmo modelo de lançar produtos com limitações óbvias para preencher o roadmap dos próximos 2/3 anos

Contudo já se adivinhava que este ano seria o deste tipo de form factor, e por isso a quantidade de produtos que irão surgir este ano no mercado, a fazer o que este faz e muito mais, parece-me que deve obrigar a alguma ponderação por parte dos potenciais utilizadores para não se enganarem, e ficarem com mais um produto que parecia giro mas que não substitui nada do que já temos, de forma eficaz.

victorma disse...

Isto sim era mais próximo do que eu gostaria de ter, e até poderia ser no form factor do iPad.

http://www.youtube.com/watch?v=UmIgNfp-MdI

Michael disse...

A reação do Hitler ao iPad:

http://www.youtube.com/watch?v=lQnT0zp8Ya4

...mesmo para quem não concorda com as opinões (como eu) não deixa de ser hilariante!!

_toninho_das_farófias_ disse...

_Faço minhas, as declarações do CEO/Nintendo, Satoru Iwata: "Ele é simplesmente um iPod Touch grande".
_Acrescido de umas funcionalidades, que nada têm de "revolucionário" e/ou "novidade"... Acrescento, eu.