01 março 2010

Licença de acendedores e isqueiros

..."se o delinquente for funcionário do Estado, civil ou militar, ou dos corpos administrativos, a multa será elevada ao dobro e o facto comunicado à entidade..."

15 comentários:

Rafael disse...

Isso não foi do tempo do Salazar?
Se sim, foi uma lei que o Salazar criou, extremamente ridícula, para protecção da indústria fosforeira nacional.

Pedro Aniceto disse...

Não lhe chamaria ridícula. Esta cópia de licença é de 1970, ano da morte dele. Parece ridícula aos olhos de hoje, em que não consegues, repito, não consegues ter uma indústria de fósforos nacional. Experimenta comprar uma carteirinha e diz-me em que países é produzida...

kincas disse...

Mas esses isqueiros só podiam ser utilizados de baixo de telha.
Era por isso que os estudantes (trajados) andavam com um bocado de telha de barro no bolso para colocarem por cima do isqueiro quando o utilizavam.

Deviam ser os estudantes de Direito que já andavam no "treino" para "contornar" as Leis.

continuando assim... disse...

lembro-me do meu avô ter uma coisa destas... :)

incrível

bj
teresa

Patricia Lousinha disse...

Kincas... Que disparate!

kincas disse...

To Patrícia.


Disparate?

http://pulanito.blogspot.com/2010/01/licenca-de-isqueiro-um-destes-dias-vai.html
(Pedro foste "caçado", este é mais velho)

É perguntar aos teus antecedentes.

Ou será disparate os "advogados" contornarem as Leis?

;)

Patricia Lousinha disse...

"To" Kincas:
Disparate, naturalmente, a parte em que escreves: "Deviam ser os estudantes de Direito que já andavam no "treino" para "contornar" as Leis."
Ou és mal formado, o que quero acreditar que não, ou estás mal informado. Nós advogados não temos "treino" e muito menos o de contornar leis.

kincas disse...

To Patricia.

Seguramente não pensas assim.
Tanto mais que quanto melhor foi nisso melhor profissional é. É exactamente isso que os distingue "inter pares".

Essa da "virgem ofendida" fica-te mal.
Tanto mais que a responsabilidade de uma Lei mal feita não é do advogado que a vai "aproveitar".

Ou aqui a "culpa" é dos estudantes que aproveitavam uma "falha" na Lei?

Pedro Aniceto disse...

Kincas, isso da telha é folclore...

Patricia Lousinha disse...

"To" Kincas,
Para alguém que não me conhece de todo, utilizar essa parangona e ah, suprema frase feita da "virgem ofendida", mata qualquer um. Ou uma. Tudo depende do botão. Ora essa e continuação de bom dia!

kincas disse...

Pedro.

Conheço quem o tenha feito e tenha sido "incomodado" por isso.


To Patricia.

Até parece que a carapuça serviu.
Não foi efectuada nenhuma referencia pessoal.

Por acaso já procurou a legislação da altura que a isso dizia respeito?

Binha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
m.camilo disse...

Eu usei um cordão de tecido que, depois de accionar a roldana na pedra provocava uma faísca que fazia "arder" o cordão com ajuda de umas sopradelas. Fiz isso várias vezes à frente dos moinas e nunca me chatearam. Essa da telha foi mesmo folclore.2º últimas informações actualmente os fósforos são produzidos na Suécia e as carteiras na Noruega.

celia disse...

Senhor Kincas, vai-me desculpar, mas de que legislação fala? Parece-me aqui que fala de uma legislação que ensina os advogados a contornarem a lei... Vamos lá ver se nos entendemos, ninguém tem culpa que as leis sejam feitas por quem delas nada sabe, ao exemplo servem os engenheiros, arquitectos, licenciados em marketing, professores, etc... Ninguém tem culpa que essas pessoas não tenham a capacidade de entender as lacunas que deixam nas leis que fazem. E por falar em contornar leis, já viu quantas vezes o trolha vai lá a casa e diz que deu duas maos na tinta e só deu uma, ou o canalizador que foi trocar o cano diz que trocou e fica lá o mesmo, ou quantas vezes reclama porque o telemóvel está avariado e tem direito a um novo e lhe dão o velho arranjado? Vamos lá ter senso e saber, que não se contornam coisas, usa-se a inteligência de quem não a tem ou teve, para prosseguir os nossos fins. ou seja, cada um puxa a brasa para a sua sardinha. Isto revela apenas inteligência e não treino em aldrabice, como está a querer dizer. Vai daí assino-me como advogada que sou, C. T. Beijinhos e abraços! E, por favor, n me incomodem...

kincas disse...

To célia.

Leia e entenda o que escrevi.
Não referi em lado algum a existência do que indica. "Parece-me aqui que fala de uma legislação que ensina os advogados a contornarem a lei... "

Por outro lado, permita que discorde. É muitas vezes por não consultarem (Eng., Dr., etc) quem percebe tecnicamente do assunto que muitas Lei, portarias e outros que tais são o que são.
E disso posso lhe dar centenas de exemplos.

É que quem faz as leis não é quem refere, mas sim os que têm cursos de direito. Não são os Eng., arquitectos que fazem Leis.


E para o restante , volte e ler os meus comentários anteriores.
Por ex. escrevi
"Tanto mais que a responsabilidade de uma Lei mal feita não é do advogado que a vai "aproveitar"."

Não "rebaixei" os advogados por fazerem bem o seu serviço (defender o cliente). Antes pelo contrário. Esses é que são os considerados "melhores".

Se também não percebe o significado de palavras entre aspas "", não tenho disso culpa.

E desculpe se não concordo que não a devam "incomodar". É que isso significa que a estão a consultar e que tem clientes.
É por isso bom sinal.

(pelo menos pelo meu ponto de vista).