30 julho 2010

Brincar aos Deuses

Hoje fiz de Deus. Ou melhor dizendo, senti-me como tal, corrigindo algo que me pareceu menos correcto, reescrevendo uma história que parecia ter um episódio menos feliz. Fiquei contente. Muito contente. Como Deus se sentiria se existisse e se dedicasse apenas a fazer coisas boas. O que, na maior parte do tempo das nossas vidas parece efectivamente acontecer mas que muitas vezes provamos não suceder. Será fútil ou efémero fazermos de Deus. Não importa. Sabe bem.

4 comentários:

Patricia Lousinha disse...

E é tão bom :)

Luís Maia disse...

Provavelmente até foste melhor que ELE, que nem sempre parece interessado em corrigir o que quer que seja

bom amigo disse...

Já a minha mãe dizia nunca te arrependas de fazer o bem

Mano Velho disse...

força pedro, mais que brincar aos deuses, és reflexo de deus[es]...

sobre o interesse de "ele" me corrigir e a minha "barba":
"…entretanto, a primeira coisa que viu foi um mendigo, com barba de muitos dias, e longos cabelos desgrenhados. imediatamente, voltou para a barbearia, e falou para a pessoa que o atendera:
- sabe de uma coisa? os barbeiros não existem.
- como não existem? eu estou aqui, e sou barbeiro.
- não existem! - insistiu o homem. - porque se existissem, não haveria pessoas com barba tão grande, e cabelo tão desgrenhado como o que acabo de ver na esquina"