27 setembro 2011

iPhone 4



O facto de ser Gestor de Produto, um dos que trabalha muito de perto com a marca Apple, não me impede de ver as coisas sem os óculos cor-de-rosinha que por vezes somos tentados a usar. Na mudança de método de construção do iPhone 3/3GS para a tecnologia do iPhone 4, perdeu-se aparentemente um factor importante, a resistência do equipamento. Comparado com o 3/3GS o iPhone 4 é, aparentemente um terminal mais frágil. Nem sequer é difícil perceber isso sem se dominar a parte técnica. Parte importante do "casing" da geração 3/3GS é composta por plástico, a traseira e frente do iPhone 4 é de vidro. Um vidro resistente, mas de vidro. Sou detentor e utilizador intensivo dos três modelos, pelo que posso, por experiência própria e por acompanhar o fluxo da Assistência Técnica, ajuizar bem do número de "tragédias" relacionadas com vidros partidos por queda. Quem me conhece sabe que eu sou um feroz defensor do uso de capa de protecção, de preferência uma capa "forte" (mas não necessariamente feia). Acresce ainda à aparente fragilidade do iPhone 4 o facto de vidro frontal e ecrã serem uma única peça, o que faz "doer" mais a alma e a carteira no momento da reparação. Apesar de considerar o iPhone 4 o MELHOR telefone da praça (tenho de escrever sobre o Samsung Galaxy SII que há uma semana me acompanha, pois estou muito agradado com o terminal), hoje testemunhei um facto que me fez repensar algumas das minhas percepções. Quando um cliente me disse "atropelei o meu iPhone", não tive grande resposta. Perguntei que modelo era (se fosse um 3/3GS nem a alma se lhe aproveitaria), mas a resposta não foi nenhuma dessas. Era um iPhone 4. Confirmei que o vidro frontal (o tal que tem também o ecrã) se tinha estilhaçado, bem como a existência de danos insanáveis no vidro traseiro. É muito raro, que devido a queda, um iPhone 4 parta os dois vidros em simultâneo. Não é impossível, mas é bastante difícil que suceda. Neste caso era um atropelamento, facto que sucede muito mais vezes do que possam imaginar. Quando, ainda ao telefone com o cliente lhe coloquei a pergunta "E o chassis? Ficou bom?", essa pergunta visava esclarecer mais a minha curiosidade sobre o aro central de alumínio. Quem conhecer o terminal saberá que a técnica de construção passa por um fino aro de alumínio no qual a motherboard está confinada e "selada" pelos dois vidros. É um facto que torna o telefone uma peça de elegância, mas sempre me suscitou muitas dúvidas sobre a resistência à torção. (Se admito colocar um 3/3GS no bolso de trás das calças, já não penso sequer fazê-lo com um iPhone 4...).
Que não, que o chassis estava aparentemente em bom estado. Mas que ainda funcionava! Quando hoje o terminal me chegou às mãos, não foi sem espanto que constatei que apesar de atropelado por DUAS rodas de uma viatura e para lá de algumas marcas de riscos no chassis, o mesmo estava 100% plano e capaz de receber os dois vidros de substituição que lhe estão destinados. Fica para a posteridade o registo fotográfico dos danos. E não tenham dúvidas de que o telefone funciona. Porque posso prová-lo. Basta que vejam o video abaixo...

8 comentários:

Patricia Lousinha disse...

O iPhone é lindo!

Paulo Mendes disse...

Há umas 3 semanas atrás, um familiar meu deixou cair o iPhone 4 e também foi atropelado por uma viatura. Estalou o vidro da frente e o ecrã funcionava na mesma. E com isto tudo, o iPhone estava protegido por uma capa. As capas não suportam o peso de viaturas pela prova que obti.

Com esta história toda, teve de pagar uns 200 e tal euros à operadora por um novo.

Tiago disse...

Olá Pedro! Sou leitor assíduo do seu blog há bastante tempo. Gostava de lhe fazer uma pergunta que resulta apenas da minha curiosidade visto que os produtos apple são demasiado caros para o meu bolso de Universitário. Porquê que a apple não aceita devolução de produtos por insatisfação do cliente? Ontem li isto na worten e fiquei admirado. Obrigado.

KIT0 disse...

Eu ainda sou fã do casing do iPhone (leia-se 2G/Classic)..Aquele aluminio atrás era um mimo.

Pedro Aniceto disse...

Não existe uma figura chamada "insatisfação do cliente"... Eu escrevi algo precisamente sobre esse assunto, deixa-me procurar

http://caoepulgas.blogspot.com/2009/10/os-consumidores-e-o-achadismo.html

Tiago disse...

Sendo assim já percebo... mas não é estranho que exista uma indicação na loja específica para os produtos Apple? Se a lei existe deveria ser aplicada por todas as marcas, deixando de existir o dita "devolução" do produto quer seja Apple ou não.

AnaD disse...

Não tenho um iPhone - por variadíssimos motivos, sendo o principal a minha casmurrice-. mas ao ver esse pobre (e a minha alma geek fica dorida de ver um gadget assim) bicho fiquei positivamente espantada nunca pensei que um "telemóvel" seja ele qual seja sobrevivesse a um atropelamento duplo.

Neste post fiquei curiosa por ler a opinião sobre o Galaxy SII ... estou 99% satisfeita com ele, mas acho que não sobrevivia a um atroplemento, de qualquer modo não estou tentada a testar isso ;)

oculos disse...

Eu não sei o que é pior: não usar a capa no iPhone ou usar a que uso (e que você conhece). Digo eu, não sei a que causa mais dano, quer ao aparelho, quer ao seu dono. E, já que estamos nisto, a sua capa também deve causar alguns danos... ;)