09 outubro 2011

Equívocos

M. é italiana, para o caso pouco importa. No front-desk de uma pequena empresa de Service tecnológico atende o expediente que lhe chega também por essa mesma via. Numa dada conversa com um cliente, por telefone, M. interrompe o interlocutor "porque estou a ouvi-lo com imensos cortes...", pedindo-lhe para desligar e devolvendo-lhe a chamada de imediato. É isso mesmo que sucede, mas quando M. voltou ao diálogo, explicando a questão dos cortes, tudo o que ouviu do lado de lá, foi um singelo "É qu-qu-que eu-eu s-s-sou ga-ga-go"...

5 comentários:

Virgílio disse...

Não pode escrever só em português?

Virgílio disse...

Não pode escrever só em português? Não estou a ver a necessidade de utilizar outras linguas.

Pedro Aniceto disse...

Posso.

Pedro Aniceto disse...

Caro Virgílio: Na minha casa, no meu espaço, quem define como e com que vocabulário escrevo, sou eu. Esta afirmação pode parecer insolente ou mesmo presunçosa, mas não o é. acredite.

manu disse...

és o maior, mas não estou a te ouvir bem......