10 janeiro 2012

No melhor pano


Nunca entendi e tão depressa não vou entender esta bizarria das companhias de telecomunicações não respeitarem minimamente uma fachada. São inúmeros os casos chocantes de fachadas de prédio com cabos passados de forma abusiva, irracional e sem qualquer pingo de vergonha, mas este caso especificamente, choca-me mais até porque todos os dias olho para este edifício que foi alvo de uma recuperação (impecável, diga-se em abono da verdade). Passados poucos meses da mesma ter sido feita, o festival de cabos passados faz-me lembrar Beirute. A mesma Câmara Municipal cujos fiscais são tão exigentes com algumas coisas não tem qualquer cuidado com situações por vezes bem mais graves.

7 comentários:

TuXPower disse...

É fácil e muito rápido de explicar. Esses tipos de serviços são feitos por empresas subcontratadas. É preciso dizer mais alguma coisa?

nmlima disse...

Realmente esses predios sao bem bonitos.

Rafael disse...

O meu prédio tb tem o mesmo mal! Uma praga!

scheeko™ disse...

É nestes pormenores que eu acho que se vê que não gostamos do nosso país. Não há o mínimo de cuidado. E se, a muito custo, ainda é aceitável, num prédio antigo, num prédio novo, não o é. E nem sequer tentam disfarçar, pintando os cabos da côr da fachada. Há dias estive no Alentejo e mete dó ver os cabos todos a riscar aquelas paredes caiadas.

No meu prédio, de 3 andares já há mais de dez anos, acabado de fazer, a então TV Cabo queria fazer um estendal, levando cada cabo a cada apartamento atravessando a rua, já que o ramal emergia do outro lado do passeio. O meu pai disse que só instalavam se fizessem passar o cabo pela caixa interna do prédio e assim o fizeram.

Não se explica dizendo simplesmente que são empresas subcontratadas. Aliás, isso não é mal nenhum. Explica-se por falta de brio dos instaladores, por falta de exigência das empresas que subcontratam e pela falta de interesse dos donos/cidadãos, que na maioria dos casos se estão a marimbar (a "prataria" dos receptores de satélite que invadiu os bairros históricos é outro sintoma da mesma doença).

Pedro Partidário disse...

Havia de ver o que acontece sobre o vidro da montra da minha loja com uma caixa de cabos e ligações de tv... E como não somos clientes daquele serviço, as dezenas de tentativas de pedir o obséquio de irem resolver aquilo de forma civilizada, termina entre o ser diplomaticamente aldrabado (por eles) e o ataque de loucura furiosa (em mim).

Pedro Aniceto disse...

Pedro, eu, que já assisti a uma cena de teimosia dessas, aconselhei o dono do prédio a munir-se de um bom alicate de corte. Só foi usado duas vezes (o alicate), à terceira mudaram a caixa...

Pedro Aniceto disse...

Scheeko, há uns anos e cansado de ver o meu bairro parecido com a Quinta do Mocho (uma versão light de Beirute) escrevi uma carta à minha Câmara Municipal. De entre a muita informação que me mandaram vieram uns DL que me demonstravam que em termos de passagem aérea de cabos, os providers não têm de dar satisfações a ninguém... (!)