05 outubro 2009

O fado é que "induca", A Bola é que "instrói!

Como é que é possível que um jornal como A Bola aceite publicidade com erros grosseiros de português na sua capa? Como?

5 comentários:

Jose Luis disse...

Sem querer ser arrogante...

Mas eu tenho a "A Bola" não como um jornal, mas como um folhetim de um clube.


Pode-se argumentar sobre a grandeza desse clube, mas nunca sobre a infeliz auto-promoção que impera nesse folhetim...

TOZE Canaveira disse...

Não é para quem pode saber, é para quem puder pagar.....

Pedro Aniceto disse...

José Luís, desculpe mas falhou completamente o tiro. Durante décadas o jornal A Bola foi uma referência da arte do bem saber escrever e é sobre isso que referi. Nada mais. Absolutamente nada mais. Não falei sobre grandezas nem misérias.

Mariozul disse...

O pior, Pedro, é que hoje em dia os erros, de ortografia e/ou gramaticais são cada vez mais frequentes, quer seja nos jornais, revistas, ou TV. Especialmente nos rodapés dos telejornais e dos programas que os precedem, aí então é fartar vilanagem.

scheeko™ disse...

A explicação é simples: este "A Bola" já não é o "A Bola". Como tantos outros, senão todos os outros, mesmo. Desde que vi parágrafos em espanhol e francês no Público online...